Cinomose - causas, sintomas e prevenção

31/08/2018
por Renata Brunelli
Cinomose - causas, sintomas e prevenção

A cinomose é uma doença canina viral e altamente contagiosa, causada por um vírus da família Paramyxovirus, do gênero Morbilivírus, que pode levar à morte ou deixar graves sequelas nos animais que se curam dela. Ela costuma acometer cães que ainda não terminaram o esquema vacinal (filhotes) ou que não receberam o reforço anual da vacina múltipla (V8, V10 ou V11).

Como a cinomose é transmitida?

O cachorro pode ser contaminado de diversas formas pelo vírus. Entre elas, pelo contato com secreções, urina e fezes infectadas de outros animais doentes. Além disso, casinha, cobertores e alimentos dos animais infectados também são fontes de infecção. Filhotes e idosos são mais suscetíveis às doenças infectocontagiosas por terem o sistema imunológico um pouco menos ativo.

A infecção pode acontecer, por exemplo, quando passeamos com nosso pet em locais pelos quais passaram animais doentes que eliminaram o vírus na rua, em parques ou outros locais públicos.

Sintomas da cinomose

  • Perda de apetite
  • Diarreia
  • Vômito
  • Febre
  • Secreções oculares (remela em grande quantidade)
  • Secreções nasais (pus)
  • Convulsões
  • Paralisias
  • Tiques nervosos
  • Falta de coordenação

Nos estágios iniciais da doença, um sintoma bastante comum é a diarreia, uma vez que o sistema digestório é, geralmente, o primeiro a ser atingido. Em um estágio um pouco mais avançado da doença, o sistema respiratório é acometido, sendo observadas secreções normalmente amareladas e densas saindo pelo nariz e região dos olhos.

Na fase mais avançada da doença, acontece o acometimento do sistema nervoso central, que é quando o animal passa a ter o andar desorientado e tremores musculares que podem evoluir para crises de convulsões.

Qual o tratamento para a cinomose?

Não há medicamentos antivirais eficazes para combater a doença. O que se pode fazer é usar medicamentos para o controle dos sintomas. É importante que o animal seja mantido em um ambiente limpo, com temperatura agradável e alimentação correta de acordo com as indicações do veterinário

Sequelas da cinomose:

O animal que teve a doença evoluída ao estágio de acometimento do sistema nervoso pode ficar com tremores musculares, andar desordenado e/ou ter crises convulsivas por toda sua vida, mesmo não portando mais o vírus.
Neste caso, o animal sequelado deverá ter o auxílio de sessões de fisioterapia e acupuntura para melhorar o quadro, além de fazer uso de anticonvulsivante em alguns casos.

Como prevenir a cinomose?

Devido à agressividade da doença e a facilidade de prevenção, não fica nenhuma dúvida ao que deve ser feito: sempre mantenha a vacinação do seu animal em dia e procure um veterinário em caso de qualquer sintoma diferente.

Meu Pet Protegido oferece a proteção que o seu pet precisa, além da aplicação de vacina em domicílio. Facilidade para você e seu amigo.


Banner Blog

Loading...