Depressão em cães e gatos

08/03/2019
por Renata Brunelli
Depressão em cães e gatos

A depressão afeta os animais, em especial os cães e os gatos, embora seja uma doença aparentemente só de humanos.

Os motivos podem ser vários: abandono, traumas, perdas por morte, a chegada de um amigo da mesma espécie, mudança de casa ou de ambiente, solidão, fome, frio, sede, entre outros. São muitos os motivos que podem resultar na depressão de um animal.

Como se manifesta

Embora os felinos sejam mais independentes e vivam mais tempo sem a presença de seu dono, os sinais de depressão são semelhantes aos dos cães, que é a espécie que tem mais propensão a desenvolver a doença, principalmente aqueles que viviam em locais maiores e se mudaram para ambientes pequenos.

Mudanças na rotina da casa podem parecer sutis para você, mas às vezes para o cachorro pode ser um tornado. Alguns desses fatores podem ser a causa da depressão em cães:

A morte de uma pessoa próxima ou de outro animal que convivia com ele.

O contrário também pode ser motivo: a chegada de um novo membro na família (como um bebê ou outro animalzinho).

Mudança de ambiente. Principalmente se for de uma casa maior para uma menor, diminuindo o espaço que o cachorrinho estava acostumado a ficar.

Se o animal ficou doente por muito tempo e isso tenha afetado seus hábitos e rotinas.

Sintomas

Assim como nos humanos, a depressão aparece por meio de mudanças comportamentais e de humor. A depressão em cães pode apresentar os seguintes sintomas:

Falta de apetite. O cachorrinho passa a não comer como antes e começa a perder peso.

Apatia. O bichinho passa o dia todo deitado, mostra desinteresse por brinquedos, petiscos e coisas que antes ele gostava. Os olhinhos ficam baixos e tristes. Não abana mais o rabinho. O contrário também é um sinal da doença, ficar agitado além do normal, destruir objetos, urinar e defecar em locais diferentes aos de costume.

Podem ficar resistentes ao toque, rejeitando até mesmo o carinho do dono.

Por isso, observe sempre o comportamento do seu Pet, muitas vezes, uma vida muito corrida ou agitada pode fazer com que você demore a perceber que seu bichinho não está bem. Fique atento! Dedicação e carinho ao seu pet é a melhor forma de prevenção contra essa e outras doenças.

Como Tratar

A primeira coisa que você deve fazer é levar seu filho peludo ao médico veterinário para confirmar o diagnóstico, já que às vezes esses sintomas podem ser resultado de alguma outra alteração física no organismo do seu animalzinho.

O tratamento para depressões em cães e gatos é através de medicações homeopáticas, que são os florais de Bach, o que tem funcionado muito bem ultimamente, porém em alguns casos, a introdução de remédios alopáticos é necessária, como o uso de fluoxetina e buspirona.

Ao escolher um animal de estimação, certifique-se que você terá tempo disponível para ficar com ele, ou para oferecer alguns passeios diários, e também garanta que ele não ficará muito tempo sozinho.

Na maioria das vezes os gatos se adaptam melhor em ambientes mais solitários por ser um animal mais independente, o que é muito diferente nos cães, pois eles sofrem se ficarem muito tempo sozinhos ou em ambientes pequenos em um período muito longo, por isso, reserve um tempo do seu dia para passeios mesmo que sejam rápidos, exercícios físicos são muito importantes para a saúde mental deles.

 


Banner Blog

Loading...