Dicas de cuidados para os Pets no inverno

19/06/2019
por Renata Brunelli
Dicas de cuidados para os Pets no inverno

Assim como nós humanos, no inverno os animais também estão mais propensos a adquirirem doenças e a procura por clínicas veterinárias aumenta consideravelmente. Como a transmissão de virose nos cães é mais rápida que nos gatos, eles são os primeiros a chegarem nas clínicas.

Além das doenças respiratórias que são as mais comuns, os animais idosos com problemas osteoarticulares como artrose, calcificações na coluna ou hérnia de disco, passam a sentir mais dor quando expostos às baixas temperaturas. 

Confira nossas dicas para deixar seu Pet quentinho e evitar doenças:

Tosa: Se o cãozinho faz atividades regulares e não tem problemas de saúde, mantenha a rotina da tosa. No caso de cães muito idosos ou que ficam ao relento, aproveite a proteção natural do animal e evite tosas muito baixas.

Roupinhas: Dentro de casa os cães geralmente não necessitam de roupas. Mas os mais friorentos, geralmente com pelo curto, podem usar casaquinhos e jaquetinhas. Evite peças de lã e dê preferências para às 100% algodão. Opte por tecidos leves e modelos confortáveis. Mas se o cão se sentir incomodado, melhor não usar.

Local de dormir: Alguns cães, mesmo tendo sua própria casinha, preferem ficar ao relento. Deixe esses animais em locais fechados nos dias de chuva ou frio intenso. Proteja a caminha do animal do frio colocando algum revestimento de borracha ou estrado, evitando o contato direto com o chão. Para os gatos, utilize os arranhadores com toca, eles adoram.

Banho: Banhos em excesso retiram a proteção natural da pele dos animais. Por isso, a recomendação é que tomem banho de uma a duas vezes por mês, no máximo. Isto vale tanto para cães como para gatos (se o felino não for acostumado a tomar banho, não é recomendável). Mas é preciso ficar atento à temperatura da água e do secador, que não deve ser muito elevada. É preciso esperar pelo menos 20 minutos para o animal ir para a rua, para evitar choque térmico.

Vacinas: As pneumonias são mais comuns no inverno e, nos gatos e cães elas podem ser bacterianas, o que é ainda mais grave. As vacinas sempre devem estar em dia e evite aglomerações com grande quantidade de animais. No frio é mais comum contrair traqueobronquite infecciosa canina, conhecida também como tosse dos canis. A doença é altamente contagiosa e é mais perigosa para animais idosos ou filhotes. Para passear, prefira os horários com mais sol.

Exercícios: Estimule os cães a fazerem exercícios, o frio é um ótimo período para isso. Em casa utilize brinquedos. Eles podem comer um pouco mais de ração do que o normal por causa dos exercícios, mas não é necessário um reforço na alimentação e acompanhar o peso do animal é algo que precisa ser feito em qualquer estação. O sobrepeso é um problema sério que pode causar doenças cardiovasculares e na coluna.

Escovação: aumente a frequência de escovação do animal para pelo menos três vezes por semana. Eles tendem a se lamber mais no frio e acabam engolindo mais pelos que formam bolas no estômago, o que pode acarretar nos gatos constipação intestinal, conhecida também como “prisão de ventre”. Nos cães, previne a formação de nós que causam lesões na pele.

Atenção ao comportamento: mesmo com todos esses cuidados, seu Pet pode adoecer por culpa da queda de temperatura. Então, esteja sempre de olho no comportamento dele. Se perceber alguma mudança, como apatia e falta de apetite, leve-o a uma consulta veterinária.

 


Banner Blog

Loading...