Doenças caninas típicas de verão

25/01/2019
por Renata Brunelli
Doenças caninas típicas de verão

Com a chegada do verão, toda a rotina do Pet muda. Os passeios ao ar livre aumentam, o animal fica mais tempo no quintal, brincar na água torna-se rotina e às vezes o pet vai até viajar com os tutores. Porém, passar tantas horas em ambientes externos aumenta a exposição a doenças.

É comum encontrar seu bichinho enfermo durante o verão, portanto, é essencial tomar algumas medidas preventivas, impedindo que a diversão do verão represente um risco ao bem-estar do peludo. Conheça, então, a principais doenças que podem afetar seu amigo e como evitá-las.

Problemas de pele

A pele dos cães é extremamente sensível, quando as temperaturas aumentam, também se eleva a quantidade de riscos aos quais o Pet está exposto. Intensidade dos raios solares, proliferação de ectoparasitas, sal do mar e substâncias químicas da piscina são exemplos de situações que causam problemas na pele. 

A tendência é que esses fatores provoquem queimaduras, inflamações e infecções cutâneas, sobretudo nas raças com pouco pelo. Quando não tratados, os problemas podem evoluir para algo mais grave. Por sorte, algumas medidas simples ajudam a evitar tais situações. 

A principal dica é usar protetor solar específico para cachorros. A exposição excessiva à luz solar é perigosa para todos os seres vivos e, além de causar sérias queimaduras de pele, aumentam as chances de desenvolver um câncer. 

É muito importante reforçar a desparasitação nessa época. Pulgas, carrapatos, ácaros e mosquitos se reproduzem intensamente no verão, aumentando a probabilidade do peludo ser infectado. Além de causar muita coceira e inflamação de pele, esses parasitas transmitem sérias doenças.

A melhor forma de evitar tais situações é levar seu canino ao veterinário regularmente e manter atualizada a desparasitação. Aproveite para verificar se as vacinas estão em dia. 

Por último, evite o acúmulo de umidade para impedir a proliferação de fungos e bactérias, os grandes culpados das infecções e inflamações cutâneas. Depois de um dia na piscina ou um banho refrescante, não permita que o canino se seque ao ar livre. Utilize a toalha e um secador para eliminar toda a água da pele e dos pelos.

Infecções gastrintestinais

O sistema digestivo do peludo também é vítima das altas temperaturas. As alterações no tempo, calor e mudanças na dieta são os causadores de infecções gastrointestinais. Isso também acontece com os humanos, uma vez que nosso organismo fica mais sensível durante o verão.

A melhor forma de prevenir é prestar atenção na comida oferecida ao Pet. Evite oferecer alimentos pesados ou alterar a dieta sem prescrição médica.

Viroses

Existem vários tipos de viroses que acometem os cães, muitas delas podem causar danos graves. Cinomose, Parvovirose e Leptospirose são alguns exemplos. Essas doenças são altamente contagiosas.

As viroses podem ser transmitidas tanto pelo contato com outro animal infectado, como por outros vetores, caso da Leishmaniose, que é transmitida por mosquitos, ou da Leptospirose, transmitida por ratos. Nessa época do ano há maior proliferação dos vetores transmissores, portanto, os cachorros no verão ficam mais vulneráveis à doença. Para evitar é necessário ter a vacinação em dia.

Insolação e hipertermia

A insolação acontece quando o animal fica muito tempo sob o sol, preso em locais pouco arejados, ou fazendo exercícios físicos intensos em altas temperaturas.

Quando acontece, os cães ficam ofegantes, apresentam fraqueza, diarréia e até presença de sangue nas fezes. Em casos mais graves, pode acabar desenvolvendo uma hipertermia, quando o animal não consegue regular a temperatura corporal que fica muito alta e pode até causar a morte. Raças de focinho achatado, como o Bulldogue, ou as de pelagens densas, como o São Bernardo, são  os mais propensos a sofrerem com a insolação.

Otite

A otite é uma inflamação nos ouvidos. Uma das principais causas da otite em cães é a umidade ou água nos ouvidos. Como é comum que nossos amigos peludos no verão passem mais tempo molhados, a incidência de otite aumenta. As raças de orelhas grandes são as mais propensas a desenvolverem inflamações no canal auditivo.

Ao tomar todos os cuidados e aplicar medidas preventivas, as doenças caninas de verão podem ser evitadas.

Lembre-se sempre de consultar um veterinário quando observar mudanças no comportamento e na aparência de seu companheiro. 

Com um plano de saúde Meu Pet Protegido, você conta com todo o atendimento necessário para cuidar do seu melhor amigo.

 


Banner Blog

Loading...