Esporotricose: proteja seu felino dessa doença

02/08/2019
por Renata Brunelli
Esporotricose: proteja seu felino dessa doença

A esporotricose é causada por um fungo que vive naturalmente no solo, o Sporothrix spp. Os gatos são as maiores vítimas do problema, que é uma micose causadora de lesões sérias e potencialmente fatal quando não tratada rapidamente. Por muito tempo, a esporotricose foi conhecida como a "doença do jardineiro", já que era comum entre esses profissionais, assim como em agricultores e outros indivíduos que tivessem contato com plantas, solo ou tábuas úmidas contaminadas pelo fungo.

Sintomas e tratamento

O principal sintoma da doença nos gatos são profundas feridas na pele, de difícil cicatrização, localizadas principalmente na região da cabeça, das patas e da cauda. Sinais respiratórios, como espirros, também podem ser observados.

Por terem o hábito de cavar a terra e arranhar árvores, os felinos estão mais sujeitos a entrarem em contato com o fungo e contraírem a micose. Manter os gatos domiciliados, ou seja, dentro de casa, é de grande importância para a prevenção da doença.

Ao perceber qualquer sinal de que o gato possa estar infectado, o tutor deve levá-lo imediatamente a um médico veterinário. Se a esporotricose for confirmada, será necessário realizar o tratamento, que consiste na administração de um antifúngico por cerca de seis meses, dependendo do caso. Vale lembrar que, se não tratada adequadamente, a esporotricose pode levar o felino à morte.

Uma das melhores formas de evitar a propagação da esporotricose é a adesão e o comprometimento dos tutores com o tratamento, explicam especialistas. Mesmo que se observe a melhora dos sintomas, é imprescindível seguir o tratamento até o fim. Só assim é possível garantir a interrupção do ciclo de transmissão da doença. Por isso, é importante que seja feito o acompanhamento de um médico veterinário.

Como se trata de uma zoonose, a esporotricose também pode ser transmitida aos seres humanos. O contágio ocorre, principalmente, quando uma pessoa é mordida ou arranhada por um animal infectado. As lesões na pele são os principais sintomas e o tratamento também é feito com medicamento antifúngico.

Prevenção

Para evitar o contágio é preciso adotar algumas precauções, como:

Utilizar luvas em atividades de jardinagem ou afins;

Manter os animais domiciliados;

Manter uma boa higienização do ambiente;

Tratar e não abandonar os animais doentes;

Castrar os felinos.

O gato não é o vilão. Na verdade, é a maior vítima da doença. É importante frisar, que em caso de morte do animal com esporotricose, o corpo precisa ser cremado e não enterrado, para que o fungo não se espalhe pelo solo e contamine outros animais, e até mesmo pessoas.

É essencial estar atento a qualquer sintoma ou mudança de comportamento nos Pets, na dúvida procure sempre um veterinário.


Banner Blog

Loading...