Nove dicas para acalmar um gato estressado

05/07/2019
por Renata Brunelli
Nove dicas para acalmar um gato estressado

O gato é um animal fascinante! Com inúmeras habilidades e conhecido pela sua famosa autonomia e independência, hoje se sabe que são amigos carinhosos, dóceis e se apegam sim ao seu dono. Os felinos vivem cada vez mais próximos do homem, o que gera uma certa dependência dos seres humanos.

Como bons amigos, merecem todo o cuidado com o seu bem-estar. Eles podem ficar estressados ou assustados com uma série de coisas, de uma visita ao veterinário até a chegada de um novo visitante em casa.

Para saber se o seu gato está sofrendo de estresse, observe atentamente sua linguagem corporal. Os tutores precisam desenvolver a capacidade de absorver todas as informações que o gato passa com suas expressões e linguagem corporal, a tensão no corpo, o tamanho das pupilas, o movimento e direção dos ouvidos, vocalizações e assim por diante.

Acalmar um gato é um processo delicado, mas, com nossas dicas, você vai conseguir fazer com que seu gatinho volte a ser aquele pet feliz e travesso.

1 – Carinho? Agora não!

Enquanto nós humanos buscamos um abraço em um momento de estresse, muitos gatos não gostam de ser manuseados quando estão estressados. Este é provavelmente o erro mais comum que os tutores cometem. Pode levar horas até que seu bichano recupere o humor e a calma. Sendo assim, em vez de sufocar o bicho com doses elevadas de carinhos, o melhor é apenas ficar por perto. Os gatos podem responder positivamente à presença de alguém que conhecem e confiam.

2 – Quem está invadindo meu espaço?

Calma e paciência são palavras-chave na hora de acalmar um gato estressado, especialmente se ele estiver exposto a algo novo. Se é um fator estressante de curta duração, como uma visita, não há necessidade de grandes providências. Com situações de longo prazo, como a chegada de um novo Pet ou o nascimento de um bebê, o ideal é ir devagar e apresentar a novidade aos poucos. Jamais pense que o animal vai se acostumar com a novidade pela exposição excessiva.

3 – Preciso me esconder!

Os gatos geralmente tem medo de espaços abertos. Portanto, certifique-se de que ele tenha um local aconchegante, onde possa se esconder em momentos de estresse. Alguns gostam de ficar escondidos, outros ficam confortáveis em locais altos. Ofereça os dois tipos de espaço, lembrando que o bichano não pode se sentir encurralado ou preso. Sempre dê a ele uma saída, uma rota de fuga.

Quando transportar seu gato, o ideal é deixá-lo aconchegado. Para a maioria dos gatos, cobrir a caixa de transporte é bastante útil. 

4 – Cadê a comida que estava aqui?

Dê aos gatos coisas que eles precisam nos lugares onde eles se sentem mais confortáveis. Se o canto predileto do seu gato for o quarto do casal, por exemplo, em momentos de estresse vale deixar sua comida e caixinha de areia enquanto o bichano está muito assustado. Observe atentamente as preferências dele. Embora possa parecer desagradável ter uma caixa de areia no quarto, às vezes, alguns sacrifícios devem ser feitos para nossos companheiros felinos.

5 – Meu cheiro!

Uma das coisas que gatos fazem para se confortar é deixar o cheiro em objetos. É preciso permitir que eles deixem seu perfume onde quiserem e que tenham acesso fácil a esses locais em momentos de estresse.

Arranhadores são uma ótima opção, pois tem o cheirinho deles impregnado, da mesma forma, se você tiver que levá-lo a algum lugar no transporte, leve algum item que contenha o cheiro do gato, isso ajudará a controlar o estresse.

6 – Minha casa, meu cheiro!

Além do cheiro do seu gato, existem outros aromas naturais que podem criar uma aura de calma. Aromas como madressilva e lavanda podem ter um efeito calmante nos gatos. Apenas uma borrifada no ar é suficiente. 

7 – Minha comida me acalma!

Se o caminho para deixar seu gato bem calminho passa pelo estômago, você pode experimentar guloseimas feitas especialmente para fornecer efeitos calmantes. Suplementos de ervas também são uma opção, mas é recomendável procurar um veterinário antes de adotar essa estratégia. Em alguns casos, medicamentos para ansiedade de curto ou longo prazo podem ser mais úteis.

8 – Não quero brincar agora!

Embora brincadeiras não sejam uma boa opção para gatos em estado de grande excitação, elas podem ser uma ferramenta valiosa para lidar com o estresse crônico. Elas podem diminuir o estresse nos peludos e aumentar sua confiança em locais associados ao medo.

Gatos com medo de grandes ambientes podem se adaptar melhor a essas áreas através de brincadeiras. É preciso persistência diária para que os benefícios calmantes comecem a fazer o efeito desejado.

9 – Preciso mesmo ir ao veterinário?

Todas as estratégias acima são úteis para lidar com o medo, a ansiedade e o estresse do seu gatinho, mas é preciso continuar atento. Especialmente se o bichano estiver passando por um estresse severo. Identificar o que desencadeia o medo permite que você construa um plano para ajudar o gato a se sentir mais calmo e seguro.

Visitas regulares ao veterinário são essenciais, leve sempre seu Pet ao veterinário quando perceber qualquer mudança de comportamento. Pet saudável é Pet feliz.

 


Banner Blog

Loading...